sexta-feira, 22 de julho de 2011

Quinas



Num desses momentos em que olho para minha sombra e vejo que ela se inclina até você. Foge de mim. O que é isso? Isso é o encontro entre a parede e o teto, que vejo aqui da cama. Esse encontro limítrofe e ao mesmo tempo absoluto de dois planos que se cruzam irremediavelmente. Como nós. Todas as quinas somos nós. Você foi dormir, mas ainda estou sem sono... O vento frio que a janela cospe na minha nuca. Sento.

E há na minha boca o fastio da espuma de palavras que morreram no início do silêncio. A contingência da solidão na madrugada que se demora e se demora e aponta a insônia lá no fim do escuro. E vou sem medo. E os armários abertos. Estampam roupas que nada mais são que retalhos de momentos tantos. De cheiros, martírios, silêncios e suspenses e segredos e sibilos. Da tripulação de inocência carreada por quem ainda desconhece o verdadeiro apego ao amadurecimento da candura de quem se entrega até do avesso. Avesso, onde tudo mais encanta e mais machuca... E nada cicatriza. Avesso que hoje sou eu, e não mais meu avesso. Não fecharei essas portas, para que as lembranças que viajam nas teias do tempo se coagulem na consciência e aí façam morada.

Vejo pelo canto dos olhos o instinto humano e sua busca visceral por respostas que aqui estão, no cubículo do quarto. Ficarão aqui, e ninguém virá buscá-las. Nas minhas têmporas ruborizadas ao bel sabor da memória e sua parafernália orgânica consequente. Na flexão quase involuntária dos membros de quem quer proteger alguém do frio intenso. Esse alguém tão distante, encasulado no confortável sono dos anjos! Esse paradoxo que pinta telas com as tintas do passado, do presente e do futuro nessas fotografias que me roubam a letargia. E também das lágrimas que são tudo que existe e não existe, entupindo veias, coalhando o olhar e então se fazendo cadentes no firmamento do mundo. A evidência clara e abissal da transformação de qualquer coisa em matéria. E da matéria em vida.

Abraço os joelhos e então sou pedra. A pedra que compõe qualquer paisagem que você queira. Dos lugares que quiser conhecer. A pedra também para o descanso. E quando fecho os olhos e as divagações fazem ondas na areia, já não sei se as mãos que me envolvem são minhas ou suas. Quando lentamente deixo que as pálpebras abram as cortinas vermelhas da peça, vejo que na verdade são as minhas. Mas na verdade são as suas.

Dormir... Sem sonhos, pois tenho ânsia de sorver a magia que vejo na realidade. Quero somente um salto nas horas. Adiantar o relógio até o minuto e o segundo em que sua voz fará estrada nos meus ouvidos, aquecendo tudo que encontra. E depois eu penso no café da manhã, nos compromissos. Em respirar.

Você fez da minha alma terra fértil para qualquer coisa. Depois plantou um infinito da mais bela arte: a de compreender o sentido da vida.

Esvaziado e extasiado - obrigado, agora posso dormir.

49 comentários:

  1. PPPPPPPPQPPPPP super chorei nisso! AFE!
    Isso me lembra saudade, das lembranças, dos momentos, de nós, de TUDO
    ah Gui seu idiota!
    Quer dizer, vc não tem culpa, eu to ficando doida, mas enfim, eu amei isso, amei o texto, amei tudo senhor amado, cada dia vc se supera, e sério conseguiu arrancar lágrimas pela primeira vez...
    Obrigado, agora posso ir durmir.
    Dani

    ResponderExcluir
  2. UAU! esse seu conto não parece conto! Soou ambíguo pra mim. Sensação de que passa muito tempo, e que não passa tempo nenhum. A madrugada foi uma ótima palavra pra descrever.

    Parabéns gui ^^

    Esse foi um dos textos que mais gostei.. eu falo isso em quase todos né? kkkk
    quem mandou vc escrever bem!!!

    ResponderExcluir
  3. \o\o\o\o\o\o\o\o/\o\o\oo\o\
    Q FODAAA!!!
    Reli 3 vezes ehuehueheuheu pra tentar captar cada parte! *-*
    Um conto que não parece dos maiores mas soa tão infinito em si mesmo e cheio de sentimentos belos ahhhhhhhhhhhhh. TANTA METÁFORA BONITA NESSE CONTO *____*
    ser quina foi uma das mais bonitas mesmo!!além da ser avesso!
    Adorei tudo!!!!!!!!!!
    Já que não pretendo dormir agora hehe, já posso LEVANTAR com um conto visceral como esse!
    ABRAÇOOOOOOOOOO GRANDE GUI! =DDDDDDDDDDD

    ResponderExcluir
  4. Tento fugir delas mas não consigo. AMO essas reflexões, o tipo de conto que se constrói num momento muito próprio. Amo ainda mais essa liquidez do pensamento, tão leve mas tão capaz de expressar o que se sente! Simples e incrível. (:

    ResponderExcluir
  5. Guiiii Caraca, morri com este texto. Ainda li ouvindo Adele Someone Like You, ficou tão perfeito. Beijos vc arrasa. sou fã daqui

    ResponderExcluir
  6. Ô, mais que bacana! Qual conto foi?

    Passando rapidinho... vim responder apenas seu comentário - vou trabalhar agora :)

    Voltarei para ler o conto depois - uma frase me chamou a atenção...

    Por cá tudo bem, obrigada!
    Abraços para você!

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. fui lendo e vagando por todas essas imagens.
    muito sensível seu conto. e bonito.

    queria saber porquê a lembrança com o reino, rs... - fiquei curiosa, confesso, rs.

    abraços

    ResponderExcluir
  9. cara, que texto hein!
    confesso que a lingagem rebuscada para mim não é das mais atraentes, mas ficou bom!


    http://www.diariodagarotadevariasfaces.blogspot.com/
    visita o meu blog? me dá esse prazer vai ;)

    ResponderExcluir
  10. Olá!

    O que posso dizer? Um texto em prosa que mais parece uma poesia! É incrível o jeito como leva as palavras... muito bom!

    Abraços!

    Ana Carolina Nonato
    Seis Milênios

    ResponderExcluir
  11. É difícil encontrar textos como os seus nos blogs da internet, é de um lirismo tão contagiante.

    Obrigado pelos elogios lá no blog. E só pra constar, também escrevo prosa (apesar de ruim).

    http://primatacronista.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Olá, Guilherme!Muito obrigado por participar do blog "Literatura & Linguagens". Pessoas como você trazem inspiração para continuar escrevendo... Parabéns pelo seu belo espaço: essência e conteúdo na medida certa. Desejo-lhe sucesso e prosperidade, amigo. No que eu puder colaborar... estou a sua inteira disposição. Mantenha contato! Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  13. lindo lindo!
    compartilho dessas mesmas emoções do personagem. me sinto tão sensibilizada... penso
    q amando ou não, isso me tocaria na msm proporção, .. sou um ser eternamente apaixonada pela iddéia de se apaixonar.

    lindo DEEMAIIIIIIIS, gostei muitoo MUITO.
    POR MIM, vc só faria contos de amor..!
    parabéns.

    e tem mais..
    ' Você fez da minha alma terra fértil para qualquer coisa. Depois plantou um infinito da mais bela arte: a de compreender o sentido da vida.'

    ESSA FRase NUH, traduz todo tipo de amor. frase perfeita!


    amo vc, bjo.
    laiza

    ResponderExcluir
  14. Muito bonito mesmo!!! E diria até meio melancólico... em certos pontos, "angustiante". Explico: trata-se quase de um amor de devoção plena, onde todo o seu estado físico e emocional DEPENDE do outro. É bonito sim, mas PESADO ao mesmo tempo.

    E isso que tornou o texto bem interessante!

    Abrs,

    ResponderExcluir
  15. Muito bonito, gostei de verdade. Me deu vontade de voltar a escrever... sempre digo q sou uma mulher de um único conto... hehehe

    www.inteligenciafashion.com

    ResponderExcluir
  16. E há na minha boca o fastio da espuma de palavras que morreram no início do silêncio. Sofro disso, não sei falar o que pensinto de cara limpa, preciso de uma grande cena, de um bom personagem, para tirar o peso das palavras que seguirão, para eu não me sentir culpada de sentir tão forte assim, limpo a garganta, imposto a voz, sou outra dizendo aquilo que eu mesma não saberia dizer sem me sentir dimunuta. Por isso escrevo. Não retribuo visita, mas a gentileza no comentário chamou minha atenção, muitíssimo obrigada.

    ResponderExcluir
  17. uau, que texto incrível;
    nem que eu fosse um bocado mais sensível, conseguiria me expressar assim.
    te sigo.

    ResponderExcluir
  18. Muito Bom o post...

    Teu espaço é muito bommm!!!
    estou seguindo!

    Abraços!
    Rafah
    Blog Eternus!
    http://eternizadoempalavras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. Tenha bons sonhos, e se não quiser acordar, que não acorde.

    ResponderExcluir
  20. Que texto liiiiiiiiiiiiindo! Adorei. Está de parabéns :D

    ResponderExcluir
  21. Lindo texto, estou seguindo *-*

    ResponderExcluir
  22. Caramba.
    Que sensibilidade.... Me apaixonei por seu texto.

    Parabéns.

    Abraços
    Acácio Neto
    www.acacioneto.com.br

    ResponderExcluir
  23. Nossa que liindo ein *-*
    Vs escreve muito muito bem, parabens viu, gosto da sua maneira de escrever que d certa forma me lembra o meu jeito em pensar nas coisas acho q quando a questao e amor, decpcoes falhas e coisas boas somos todos bem parecidos de formas diferentes ,muito autentico *-*

    ResponderExcluir
  24. Velho, você é foda.

    Acho que já te falei, mas vou repetir: você tem um estilo próprio, facilmente reconhecível. Porém, é um estilo que me lembra muito Graciliano Ramos. Tirando, claro, as características muito peculiares a ele. O fato é: sua escrita me prende até o final do texto, leio tudo numa respiração só, em desespero.

    É isso: desespero. Seus textos me passam essa sensação, ainda que involuntariamente.

    ResponderExcluir
  25. nunca o havia lido. gostei de ti desde as primeiras linhas, e com certo desespero.

    ResponderExcluir
  26. Muito impactante o seu texto, gostei. Você disse lá no meu blog que seria legal se trocássemos experiências literárias, então... Vim ver o que suas palavras dizem.

    Obrigada pela mensagem no Bate-Coração! Seja sempre bem vindo por lá.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  27. Magnífico, incrível, excepcional, o que mais? Ficou realmente realmente maravilhoso. Parabéns.

    ResponderExcluir
  28. Grata pelas visitas ao vórtice e seus comentários tão delicados.

    Seu espaço aqui é incrível!
    lindas letras.

    Beijo

    ResponderExcluir
  29. "Belo e interessante jogo de palavras. No início do texto confesso que me fez lembrar um dia de muita febre e delírio me fazendo ver as quinas cairem em cima de mim. Parabéns pela fertilidade da alma que te fez produzir tão belo texto".

    ResponderExcluir
  30. PARABÉNS pelo seu cantinho, desejo voltar aqui com mais calma e me jogar nos seus textos...
    Tô seguindo :* Sucesso sempre (yn)
    http://cuidademim.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  31. Adorei seu blog, adoro frases, pensamentos, poemas.

    Visite meu blog e se gostar me Segue tb.


    rosabarbie.blogspot.com

    Bjs (:

    ResponderExcluir
  32. Nossa! você escreve muito bem, mesmo.
    Cada frase trazendo riqueza e beleza poética na prosa. E de uma sensibilidade incrível também.
    E o amor que é descrito em seu conto, é do mais belo que encontramos por aí, lindíssimo.

    ResponderExcluir
  33. Não gosto de classificar textos como poesias, poemas...enfim.
    mas classificarei o teu como magnífico.
    sério, tu é uma inspiração pra mim.
    escreve muito bem e usa uma linguagem que eu adoro.
    parabéns mesmo.

    Quando puder comenta lá no meu blog
    www.luliskd.blogspot.com

    valew (y

    ResponderExcluir
  34. Passeando te encontrei, que texto lindo, fiquei tocada. Te sigo e te convido a visitar meu blog www.odeliriodabruxa.blogspot.com
    Um beijo
    Denise

    ResponderExcluir
  35. muito bom

    sucesso com seu blog

    http://totaldowloadsfree.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  36. Lindo o texto, você escreve muito bem!
    Parabéns pelo seu blog, tudo de muito bom gosto. Estou seguindo e sempre que possível estarei aqui comentando de novo!
    http://umpoucosobreisso.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  37. sem palavras.
    Belíssimo
    me senti parte
    beijos

    ResponderExcluir
  38. Me fez chorar... bastou eu ler:Num desses momentos em que olho para minha sombra e vejo que ela se inclina até você...


    ;/

    ResponderExcluir
  39. fez da minha alma terra fértil...gostei dessa parte,,,...muito bom o texto....bem elaborado...

    ResponderExcluir
  40. que texto mais lindo! está de parabéns, voltarei sempre aqui!
    http://lollyoliver.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  41. Guilherme, gostei da sua visita e também valeu vir conhecer o seu espaço.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  42. É muito bom -triste.

    ResponderExcluir
  43. ----
    escreves com os ossos desnudos
    Com a alma despida na noite.

    Ah... enche esta noite e as que virão com um céu que ilumine de agora em diante todas as tuas noites

    ...pois a ânsia que sorva a magia é a mesma que alimenta os melhores poemas...como este!...


    Obrigada por passar e comentar..:)

    ResponderExcluir
  44. Maravilhoso texto, traz um sentido bem interessante aos pensamentos sublimes e profundos cravados na alma em algumas simples palavras e sentimentos. =]

    ResponderExcluir
  45. Espetacular. Você possui originalidade, suas palavras fixam o leitor até o último ponto.
    Ótimo texto.

    ResponderExcluir